quarta-feira, 16 de abril de 2014

DA FOTOGRAFIA ANALÓGICA AO VINIL, COM AUANA ZUBEK, MARIA MION E IGUAZZU RECORDS




          Duas das artistas participantes da exposição “Curitiba, quem é essa?” optaram pela fotografia analógica. Aquela mesmo, do método “antiguinho’, para muitos extinto, engolido pela tecnologia da fotografia digital.
 


           Os registros analógicos resgatam outra sensação ao fotografar. Eles exigem maior concentração antes de cada clique, uma vez que não se conta com a memória “infinita” de um moderno cartãozinho. Cada registro é antecedido por uma respiração profunda, para que nada trema, para que o dedo desça rápido e forte antes que se perca a cena a ser retratada.

          Foi vivenciando essa experiência que a aspirante a fotógrafa, Auana Zubek, que já participou do I Salão de Arte Contemporânea e Novas Tecnologias, de Ponta Grossa, produziu a série Quintal e encantou a todos com seus delicados registros. A jovem desenvolveu a série buscando mostrar “a cidade que proporciona, no meio do caos urbano, o charme das flores que muitas vezes passam despercebidas na correria do dia-a-dia, as flores plantadas pelos moradores da cidade.”

 
Auana Zubek e sua obra
 
          A outra artista que usou a fotografia analógica foi Maria Mion, mais uma jovem talentosa que embarcou em nosso projeto. As peças da fotógrafa que estão presentes na exposição fazem parte de um projeto maior chamado “Ensaios para futuras locações”.


Maria Mion e uma de suas obras
 
          Desse projeto, Mion extraiu dois registros únicos, que chamam a atenção de todos que comparecem à Galeria, não apenas pelas dimensões do suporte escolhido pela artista, mas especialmente, pela criatividade das imagens. Segundo Mion, ela tenta olhar os lugares do seu cotidiano de uma nova forma a cada dia, exercitando um “olhar estrangeiro” em sua própria cidade.

          No embalo da fotografia analógica, a noite do lançamento da exposição contou com uma sonorização toda feita a partir de vinis, respeitando o ritual descrito pelo responsável pela música, Bira.

          Um disco é escolhido. Retirado da sua capa ele é colocado no prato do toca discos e sobre ele se posiciona o braço que termina em uma pequena agulha. Ela gentilmente toca o primeiro sulco gravado naquele disco negro... que gira. O primeiro estalo seco e o som começa a surgir pelas duas caixas acústica, de repente, todo ambiente é ocupado pela música.”


Bira e uma outra apaixonada por vinil
 
          Bira é sócio proprietário da Iguazzu Records, uma loja especializada e dedicada exclusivamente à cultura do vinil.  Com um acervo amplo e selecionado de LP’s, EP’s, compactos de 7" e picture discs, a Iguazzu foi recém-inaugurada na Alameda Augusto Stelfeld, 128. Como sempre, mais um parceiro que fica pertinho da gente. Porque nessa nossa Curitiba, muitas vezes fria, calor humano é fundamental!


 

SERVIÇO:

Galeria Teix
(41) 3018-2732 | 3019-2294
Av. Vicente Machado,666 - Batel Soho
estudioteix@gmail.com


segunda-feira, 14 de abril de 2014

ROBERTO PITELLA PRESENTEIA CURITIBA COM "FUI ANDAR POR AÍ E VI"

          O artista Roberto Pitella, respeitado professor da EMBAP, muito nos honrou aceitando o convite para participar da exposição Curitiba, quem é essa?. Um artista que por meio de suas imagens expressa seu posicionamento político e, ainda assim, consegue imprimir em sua obra uma poética que se traduz naquilo que ele chama de interartes, misturando fotografia, xerox, aquarela, colagem e texto.


Roberto Pitella e sua obra
 
          Engajado no cenário cultural, sua produção é constante e seus trabalhos estão em diversos lugares do mundo. Na obra intitulada, “Fui andar por aí e vi”, ele nos apresenta uma proposta imaginária da cidade como um corpo, refletindo o seu pensamento de que hoje Curitiba é uma grande colagem, uma grande mistura.



           Segundo Pitella, a fotografia ocupa o lugar da poesia em sua vida, o que vai de encontro à figura simpática e solícita do artista que fez questão de conhecer os bastidores da Galeria no dia do lançamento e de abraçar a chefe responsável pelos quitutes preparados para a data. Com apenas 18 anos, a chefe Carol Corrêa surpreende a todos com sua competência e talento. Para o lançamento da exposição, ela desenvolveu um cardápio inspirado no texto O curitibano de 321 anos, de Rodrigo Wolff Apolloni (referenciado em post anterior) e consequentemente, em Curitiba. Os presentes puderam se deliciar com pierogi de ricota, torrada com patê, empanada chilena e mingau de leite aromatizado com ameixa seca.


Carol Corrêa e Jô Maciel
           Além das delícias preparadas pela chefe Carol,o coquetel o teve um complemento para lá de especial que sela mais uma parceria da Galeria. O Mezanino das Artes, recém inaugurado no Batel, serviu bruschettas italianas preparadas pelo chefe Paulo Mello.
 
O Mezanino das Artes fica na Alameda Doutor Carlos de Carvalho, 805, e funciona de segunda a sábado, das 11h30 às 23h.
           Ah, e falando em gastronomia nos lembramos de um detalhe.. ficamos sabendo que, além de fotografar, Roberto Pitella tem um outro lado, o de vestir seu dolmã e realizar jantares em sua casa, para poucos e seletos amigos.

(foto por Isabella Tosin)


SERVIÇO:

Galeria Teix
(41) 3018-2732 | 3019-2294
Av. Vicente Machado,666 - Batel Soho
estudioteix@gmail.com

quarta-feira, 9 de abril de 2014

A SENSIBILIDADE DOS REGISTROS DE CINTYA HEIN




No lançamento da exposição Curitiba, quem é essa?, realizado na última quinta-feira, não contamos com a cobertura fotográfica da profissional Cintya Hein. O motivo não poderia ser mais nobre, pela primeira vez ela veio à Galeria como expositora.

Fotógrafa Cintya Hein


 Repórter fotográfica atuante em Curitiba, Cintya é uma grande parceira da Teix e foi convidada para participar da exposição em um momento de amadurecimento da sua atuação como fotógrafa. Ela afirma gostar do romantismo e dos sentimentos nas imagens, o que transparece nos registros de grande sensibilidade escolhidos para participarem da exposição.


Cumplicidade, um dos registros  de Cintya Hein que compõem a exposição


 A fotógrafa acredita que o reconhecimento pelo seu trabalho vem do fato de ela realizá-lo com paixão, e foi com essa paixão pela fotografia que Cintya trouxe para exposição a proposta de um trabalho em 3D. Em uma peça que reúne registros do Paço Municipal, da Praça Osório e do Bosque do Papa, o espectador é convidado a interagir com sua obra de maneira lúdica e instigante, mesclando realidade, sentimento e ilusão.

O desenvolvimento das obras de Cintya contou com a colaboração de um outro parceiro da Teix, a Artestil, uma manufatura artesanal de molduras e móveis que atua em Curitiba desde 1978. Atualmente instalada no Alto da XV (Rua Padre Germano Mayer, 1230), a Artestil expandiu sua atuação e está trabalhando também com a locação de móveis para eventos, dispondo tanto de peças de fabricação própria, como de itens de época e réplicas.



http://www.artestil.com.br/


Muito obrigado a Cintya Hein, a Artestil e a outros parceiros que embarcaram conosco nesse projeto da exposição "Curitiba, quem é esssa?", que continua aberta ao público, no espaço da Galeria Teix, até o dia 3 de maio. De segunda à sexta, das 10h às 19h, e sábado, das 10h às 16h.


SERVIÇO:

Galeria Teix
(41) 3018-2732 | 3019-2294
Av. Vicente Machado,666 - Batel Soho
estudioteix@gmail.com